domingo, 21 de junho de 2009

COMO FLOR

COMO FLOR
Naidaterra

De mansinho acheguei-me como
quem quer ser molhada...
Meu corpo cheio de noite
e o teu perdido de amor...
Ai, um rumor
de bocas, mãos loucas,
sabor de paixão...
Doce mel escorregadio cintilava
o meu corpo...
Orvalhada, fui-me abrindo
em flor...

Naidaterra